A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Notícias Aliança / Índios interditam avenida em Belém em protesto contra Temer

Índios interditam avenida em Belém em protesto contra Temer

Índios interditam avenida em Belém em protesto contra Temer

Na noite desta terça-feira (1º), dezenas de índios de várias etnias protestam contra o governo de Michel Temer e denunciam a precariedade do atendimento à saúde indígena no Pará, em Belém. Eles saíram em caminhada e interditam a avenida Conselheiro Furtado, próximo à travessa da Quintino Bocaiúva. Há congestionamento na via.

Há dez dias, o índios ocupam o prédio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Belém. Os indígenas, que estão acampados no imóvel desde a noite da última quarta-feira (19), contam que o serviço de atendimento à saúde se agravou há cerca de dois anos, com a falta de remédios, exames de alta e média complexidade e atendimento médico, o que teria causado aumento no número de mortes nas aldeias.

Em nota publicada no começo da ocupação em Belém, a Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde (SESAI/MS) esclareceu que tem conhecimento das reivindicações para melhoria da saúde indígena na região. Afirma ainda que as reivindicações serão avaliadas pela gestão da Secretaria e repassadas junto às lideranças indígenas e comunidade.

Protesto provocou congestionamento na via (Foto: Thais Rezende/G1 PA)

A Sesai é um órgão do Governo Federal que possui 34 distritos em todo o país e responsável por garantir infraestrutura e atendimento aos índios na área da saúde. O distrito Guamá Tocantins corresponde à área do Pará e conta com orçamento de R$ 17 milhões por ano, mas de acordo com os líderes das tribos não é observada a utilização da verba nos programas de atendimento às comunidades indígenas.

“Foi uma luta grande, árdua, nossa, para que fosse criada essa Secretaria Especial para melhorar a assistência para nós, mas não está sendo especial, está sendo precária. A situação não está boa para as nossas comunidades na área de saneamento, não tem medicamento, não tem combustível”, denuncia o cacique Lúcio Tembé.

A situação foi denunciada para o Ministério Público Federal (MPF) para que seja cobrado o destino desses recursos. Segundo os indígenas, em 16 anos de atuação, a Sesai nunca teve na coordenação um representante das etnias e eles pedem que a nomeação seja feita o mais rápido possível.

“A nossa decisão é que seja nomeado um coordenador indígena indicado por nós para que ele possa assumir e nós apostarmos para ver se dá certo. Se nós não estivermos à frente do que é nosso, não vai”, conclui Tembé.

Fonte: G1

169 Total Views 1 Views Today
Compartilhe com seus amigos!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Verifique

Veja :Polícia prende dois homens acusados de fabricação de armas de fogo caseiras

A Polícia Civil prende em Novo Repartimento, no sudeste do Pará, dois homens responsáveis por …

Comentários no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *