A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Notícias Aliança / Aumentam casos suspeitos de microcefalia no Pará

Aumentam casos suspeitos de microcefalia no Pará

Em dez dias, casos suspeitos de microcefalia aumentam de 46 para 56

Aumentam casos suspeitos de microcefalia no ParáO boletim epidemiológico divulgado ontem pelo Ministério da Saúde atualizou para 56 o número de casos suspeitos de microcefalia no Pará até 23 de julho. Na última semana (16 de julho) eram 46 casos em investigação – alta de 21,7%. No geral, já são 57 casos notificados no Estado desde o início das investigações, em outubro de 2015, uma vez que um registro já foi confirmado.

Em todo o País, o número de casos confirmados passou de 1.709 para 1.749 em uma semana. Outros 3.062 casos suspeitos de microcefalia (eram 3.182) permanecem em investigação pelo Ministério da Saúde e os Estados. Desde outubro de 2015, 8.703 casos foram notificados. Destes, 3.892 foram descartados por apresentarem exames normais, ou por apresentarem microcefalia ou malformações confirmadas por causa não infecciosas. Também foram descartados por não se enquadrarem na definição de caso.

Do total de casos confirmados, 272 tiveram confirmação por critério laboratorial específico para o vírus Zika. O Ministério da Saúde, no entanto, ressalta que esse dado não representa, adequadamente, a totalidade do número de casos relacionados ao vírus. A pasta considera que houve infecção pelo Zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia. Os 1.749 casos confirmados em todo o Brasil ocorreram em 609 municípios, localizados em todas as unidades da federação e no Distrito Federal.

No mesmo período, foram registrados 371 óbitos suspeitos de microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central após o parto ou durante a gestação (abortamento ou natimorto) no país. Isso representa 4,3% do total de casos notificados. Destes, 106 foram confirmados para microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central. Outros 200 continuam em investigação e 65 foram descartados.

A pasta orienta as gestantes adotarem medidas que possam reduzir a presença do mosquito Aedes aegypti, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.Sem fotos

Fonte: ORM/News

127 Total Views 1 Views Today
Compartilhe com seus amigos!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Verifique

Exclusivo: Acaba assalto com refém em loja em Belém

Quatro assaltantes fizeram clientes reféns dentro de uma unidade das Lojas Americanas localizada entre a …

Comentários no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *